Follow by Email

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Ansiedade


A ansiedade é um estado emocional provocado pelo medo.
O medo é a antecipação de um resultado indesejado.
Temos medo de falhar num determinado objetivo, numa tarefa que nos foi proposta, num exame (escolar, profissional ou médico) que teremos de fazer, das hipotéticas criticas que nos atinjam…

Chegamos assim à conclusão que a ansiedade é medo de algo que ainda não aconteceu, então podemos dizer que a ansiedade é provocada pelo medo do futuro.

Sabemos que a vida é feita de momentos, de pedaços de tempo que vão formando o nosso dia.
Podem ser bons, menos bons ou até maus, mas são momentos com os quais temos de lidar. Então só temos de saber resolver da melhor maneira os momentos atuais.

Preocupações com o que vai acontecer é entrar em sofrimento com uma situação que pode nem se concretizar.

Se alimentarmos a ansiedade ela irá crescer e tomar conta de nós.

A ansiedade prolongada provoca cansaço físico e mental, depressão e até doenças que poderão vir a tornar-se crónicas.
Não vamos adoecer por motivos que só existem na nossa imaginação.

Que fazer?

Sair de casa, focar a mente no que estamos a fazer, ligar a televisão ou o rádio, ler, escrever, cantar, dançar…alguma coisa que nos dê prazer e nos faça desviar os pensamentos.
Requer força de vontade e persistência, porque a tendência é sempre voltar a pensar no que nos está a preocupar.

Não é fácil, mas se nos focarmos nessa pretensão vamos conseguir.

Se nos habituarmos a afastar de imediato as ideias que nos atormentam, entramos num processo de automatização e de libertação dos medos.

Deixei para o fim o mais eficaz método de combate à ansiedade: a meditação.
Mas sei por experiência própria que não é fácil meditar em pleno estado de ansiedade.

Então poderemos começar por fazer um relaxamento físico, de preferência deitados de costas, respiramos profunda e lentamente, e relaxamos mentalmente uma parte do corpo de cada vez. Os pés, pernas, abdómen, mãos, braços…até chegar ao topo da cabeça. Com calma e sempre focados nessa parte do corpo que estamos a relaxar.

Podemos também procurar uma meditação guiada ou uma música relaxante e tranquila e sempre com o corpo em estado de relaxamento e de respiração profunda acompanhar o que estamos a ouvir. Servindo-nos da nossa imaginação para criar situações ou cenas que se relacionem com os sons.
Se a meditação guiada nos levar para um jardim nós tentamos imaginar que estamos no jardim, sentimos os cheiros do jardim…
Se a música for com sons da natureza nós integramo-nos nela e ouvimos a água, os pássaros…
Se for apenas uma música tranquila, imaginamos bailarinas, um músico a tocar um instrumento, uma orquestra…

A imaginação é um princípio para manobrar a mente e quando conseguirmos o seu controle podemos passar à meditação no vazio, no silêncio.

Passamos a ser só nós connosco próprios.

Nessa altura estamos preparados para combater qualquer estado de ansiedade.

Cristina Mestre

2 comentários: